AUDI S3 SPORTBACK 2010 – A RESPOSTA PARA OS PROBLEMAS DO AUDI A3

Essa é um momento muito interessante para mim. Estamos na transição de linhas dos novos modelos do BMW série 1 e do Audi A3. A VW acaba de lançar o GOLF MK VII no Brasil e a Mercedes deve começar a vender em quantidades maiores a nova Classe A.

Obviamente, todos aqueles que correm para ter o “produto novinho” acabam enfrentando coisas do tipo ágio e lista de espera, e acabam ignorando os produtos semi-novos da geração anterior. Quem, por sua vez, tem o produto “velho” sabe que vai enfrentar uma dolorosa desvalorização.

Se você é daqueles que está atrás de um carro bom, com níveis de equipamento acima da média e motorizações mais fortes, essa pode ser a uma boa hora para ir às compras, isto é, se você não liga a mínima em ter um carro da geração anterior.

No mercado de hatches, isso significa que com o valor de 135 mil reais, equivalente ao valor pedido pelo Novo Golf GTI completíssimo, uma BMW 118i bem equipada ou um Audi A3 1.8 TFSI Sportback, você pode, por exemplo, comprar um Audi S3 2010 e, com sorte, ainda ter um “troco” para pagar uma conta de seguro ou IPVA.

Numa manhã chuvosa de sábado, resolvi fazer um teste drive em um Audi S3 2010 semi-novo. O clima favorecia a minha vontade de ver do que o S-line da linha do antigo Audi A3 2.0 TFSI seria capaz de fazer com sua tração integral em um piso molhado.

Audi S3 Sportback korncars I

Muito embora o 2.0 TFSI acoplado ao câmbio DSG seja um dos melhores conjuntos quatro cilindros do mundo, na minha opinião, ele demanda um bom conjunto de suspensão e chassi para ser aproveitado em sua plenitude. Caso contrário, as coisas parecem muito “fora do controle”.

Eu sempre torci um pouco o nariz para o antigo Audi A3 Sportback 2.0 TFSI. Não obstante toda a versatilidade do modelo e o conforto acima da média para a categoria de hot hatch, o comportamento dinâmico do carro sob condições mais esportivas sempre deixou a desejar. A direção, principalmente dos últimos modelos, pós-2009, era demasiadamente anestesiada, leve e sem sensibilidade a respeito do que se passa com o eixo dianteiro (motriz) do veículo. Se não bastasse isso, o A3 nunca fez questão de esconder que a frente era demasiadamente pesada, facilmente saindo de frente nas curvas mais fechadas.

Ou seja, o A3 era um excelente carro de “passeio”, com motor e desempenho de sobra, mas não para ser abusado na “tocada”.

Entrando no S3, eu estava na dúvida se a experiência seria próxima do Audi RS3 (um dos primeiros carros que escrevi a respeito aqui) ou se seria uma versão “melhoradinha” do Audi A3 comum.

Como eu a descobria, o Audi S3 me surpreendeu muito positivamente!

MOTOR E CÂMBIO 

O Audi S3 é equipado, como já anunciado, com um motor 2.0 turbo de injeção direta de combustível. Trata-se, basicamente, do mesmo bloco que equipa a família VW JETTA, FUSCA, GOLF GTI e o PASSAT. Obviamente, no caso do S3, as coisas são mais apimentadas. A turbina é maior do que a encontrada nos demais veículos VW e do que a do irmão “comum” A3. O intercooler também é mais eficiente. Tudo isso faz com que o S3 rode com 1,2 bar de pressão, 0,3 bar a mais que no A3.

Audi S3 Sportback korncars Motor

Todas essas mudanças fazem com que o S3 renda aproximadamente 256 Cvs a 6000 rpms e 33,6 Kgfm a 2500 rpms (estáveis até 5000 rpms).

O S3 Sportback equipado com o câmbio de dupla embreagem de 6 marchas (DSG) é capaz de ir de 0 a 100 Km/h em 6 segundos cravados e atingir a máxima de 250 Km/h. Nada mal para um carro que pesa 1495 Kgs. Realmente, acelerando o carro, a medida dos 6 segundos parece muito bem apurada e o carro realmente parece fazer essa marca.

Audi S3 Sportback korncars Câmbio

No que diz respeito ao câmbio, novamente, sobram elogios. Porém, apesar de ser muito rápido nas trocas, após alguns quarteirões, não podia deixar de lembrar que no Golf GTI MK VII, recém-lançado, as trocas parecem um pouquinho mais rápidas e agressivas. Apenas um detalhe. São seis marchas, controladas manualmente atrás do volante, com a borboleta da esquerda atuando nas reduções e, a da direita, nas progressões.

Há ainda a possibilidade acionar o modo “S” no câmbio, alterando padrões de comportamento do acelerador e do câmbio para mais agressivo. Não chega a ser notória a diferença para o modo normal, mas é relevante, pois ainda há o famoso “retardo” na resposta do acelerador da Audi (que me irritou muito a bordo do RS3).

Isso me traz a primeira grande crítica ao S3: a Audi errou na mão com a resposta do acelerador. 

Vejam bem: a turbina entra com tudo por volta dos 2500 rpms – isso quer dizer que até lá você uma coisa desagradável chamada de “turbo lag“, que são aqueles instantes que você aguarda os giros do motor crescerem, para então ver o mundo passar mais rápido“. No entanto, se já não bastasse o “lag”, você encosta no acelerador com mais vontade e, ainda assim, ele hesita alguns instantes em lhe responder na intensidade da sua pisada.

Claro, se você não está atrás de cada milésimo de segundo a cada arrancada de farol e vai usar o carro todo dia, não vai ser um problemão. Agora, eu aposto que o Audi S3 2010 seria ainda mais rápido de 0 a 100 Km/h se a resposta do acelerador fosse mais direta, ainda mais no modo “S”.

O bom é que trafegando em condições urbanas e normais, o S3 tem potencial para ser um carro bem econômico, pois a turbina só acorda a rpms mais altos e o motor é de injeção direta de combustível.

CHASSI, SUSPENSÃO, TRAÇÃO E DIREÇÃO

O S3 não é exatamente o que eu chamaria de um hatch peso pena. São 1495 Kgs, o que é bastante, porém, justificável se levarmos em conta a tração integral Quattro. Quando o tema é Audi, duas coisas eu gosto de elogiar bastante – câmbio e TRAÇÃO. Eu sou um cara que não é fã de tração integral, mas admiro demais a segurança que o sistema traz. Quando disse para vocês que o dia era chuvoso e eu queria muito dar um volta no S3, foi justamente para ver como o sistema funciona sob tais condições. A resposta é única: excelente!

Audi S3 Sportback korncars II

Você pode dar acelerador, aguentar a turbina entrar e ficar com o pé embaixo que o S3 traciona com a precisão que se espera de um carro alemão. Realmente, é curiosa a civilidade que o S3 trafega sobre asfalto molhado. Enquanto uma BMzinha ficaria brincando de passear a traseira, o S3 segue de maneira fria e precisa aonde você apontá-lo nessas condições.

No quesito curvas, outro momento em que o S3 me fez feliz foi ao amenizar aquela tendência chata dos Audi A3 em sair de frente nas curvas mais fechadas. A combinação motor transversal + localizado em cima do eixo dianteiro +  direção com assistência elétrica fizeram muito mal para o antigo A3 Sportback.

Com o S3, a configuração acima muda só um pouco. A diferença vem mesmo quando o carro apóia o peso na frente, ao dar pedal no acelerador nas curvas mais fechadas, pois o S3 segue como se estivesse em um trilho e neutraliza muito bem aquela indesejada saída de frente do modelo comum.

Sinto apenas que a direção é um pouco mais comunicativa do que no Audi A3, embora ainda seja um pouco anestesiada para o meu gosto. A direção do S3 faz um trabalho melhor em transmitir o que se passa com a frente do carro do que o irmão coupé TT, mas, nas mudanças de direção com S3, você ainda sente um certo lapso de tempo entre apontar a direção e o carro assumir o rumo desejado.

Não vou chegar ao ponto de criticar, pois todos nós sabemos o caminho que a BMW/MINI seguem para ter aquela resposta de direção sublime nos seus hatches – enfiando suspensões extremamente rígidas e com pouco curso, totalmente desconfortáveis e incoerentes para o dia a dia em São Paulo (quem andou de Mini Cooper S ou JCW, bem como de BMW 130i sabe do que eu estou falando). Aliás, curioso é que até mesmo a posição de dirigir do S3 é muito parecida com a do Audi A3, ou seja, um pouco mais elevada do que se espera de um carro “esportivinho”.

 Audi S3 Sportback korncars Interior

Notem, isso é uma coisa muito específica minha. Aposto que para muitos motoristas isso não será um problema e, afirmo, para conviver todos os dias, prefiro o set-up do Audi S3, muito mas versátil na hora de conciliar desempenho e utilidade diária.

DIVERSÃO

Aqui é onde as coisa ficam complicadas. O que é diversão para você? Para muitos, tração integral está nos céus, enquanto que tração traseira está na terra. Para mim e muitos outros, nada bate a diversão da tração traseira. Vai do gosto do freguês.

O S3, na minha opinião, é um carro versátil, com um ótimo desempenho e excelente praticidade, sem jogar fora a alma de hot hatch. Porém, talvez, se a tração integral permitisse uma traseiradinha aqui e ali, se o ronco do motor fosse um pouquinho mais agressivo, a resposta do acelerador mais rápida e a direção um pouquinho mais direta e comunicativa, tenho certeza que colocaria o S3 como um dos melhores hatches que já dirigi. Agora, essas são características que eu valorizo em um carro e nem sempre podem ser as coisas que você está procurando.

Como um carro para conviver todos os dias e ser seu único, o S3 é uma excelente escolha. No quesito diversão pura, ainda o acho muito civilizado.

Audi S3 Sportback korncars III

CONCLUSÃO

O Audi S3 Sportback é, sem sombra de dúvidas, um Audi A3 melhor resolvido. A frente continua pesada devido à posição do motor, porém, a combinação de uma direção um pouco mais comunicativa, aliada à uma suspensão mais firme, e a tração Quattro, fazem o S3 muito melhor do que a versão “ordinária” do carro.

Junte-se a isso que o S3 Sportback continua sendo um carro bem prático e usável todos os dias, como seu irmão mais simples. O desempenho não chega a arrancar suspiros de tão forte, mas é mais do que satisfatório, especialmente em linha reta. Não é um carro tão emocional, mas, sem dúvidas, alia muito bem versatilidade e esportividade.

É um carro que pelo preço cobrado hoje no modelo 2010 realmente lhe faz pensar se vale a pena correr atrás de modelos 0 km como a BMW 118i, VW Golf GTI, Audi A3 1.8 TFSI ou Mercedes Benz Classe A200. Eu, sinceramente, ficaria na dúvida com o GOLF GTI, mas acho que acabaria escolhendo o S3 justamente por ser um carro mais completo em virtude da tração integral.

Audi S3 Sportback korncars IV

Anúncios

5 comentários sobre “AUDI S3 SPORTBACK 2010 – A RESPOSTA PARA OS PROBLEMAS DO AUDI A3

  1. Excelente matéria Korn. Recentemente tive a oportunidade de comprar um S3 do sócio do meu pai, era um 2009/2010 prateado com APENAS 7mil Km (o carro era realmente de fds). Ele o vendeu por 137mil e na época eu estava no dilema entre o S3 dele e o novo GTI que sairia na configuração que queria seria 116mil. No final das contas não optei por nenhum e fiquei com meu A4 mesmo, coisas da idade, mas se tivesse de optar iria pelo VW pelo fato que acho muita grana pra ser dar em um carro com 4 anos de uso e sem garantia nenhuma.
    Mais uma vez, parabens pela matéria e principalmente pelo Blog.
    Abraço

  2. Excelente materia.
    So fico na duvida quanto aos problemas com cambio DSG. Tanto VW como Audi ja encontraram a solucao? A partir de que ano?
    E um item a ser pensado antes de investir numa MAKINA usada, em que pese a qualidade das mesmas.

    1. Olha, essa história do barulho vindo da transmissão DSG eu ouço a respeito desde 2006, quando a Audi trouxe o A3 com esse câmbio para o Brasil pela primeira vez. Realmente, acredito que seja característica do sistema mesmo.

      1. Realmente é uma questão característica, os Golf 1.4T e GTi apresentam esse mesmo “problema”. Um amigo meu tem o 1.4T e já relatou isso, foi à concessionária e depois de muito tempo informaram que não é defeito. Quando ao GTi, vi em um canal do you tube, um proprietário passou pela mesma via sacra até falarem ora ele que isso é normal.

Leave a Reply / Deixe Seu Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s