NISSAN 350Z – MUITO MAIS QUE UM CARRO PARA DRIFT

Minha primeira experiência a bordo de uma 350Z ocorreu por volta de 2009. À época tinha ido ver o carro que, supostamente, era “imaculado”. Se a memória não me falha, do pouco que me lembro, eu não havia gostado do carro. Estava claramente com a quilometragem adulterada e um estado de conservação mais do que duvidoso.

Por isso nunca escrevi sobre o modelo aqui, pois queria ter uma memória mais recente e saber do que ele é capaz estando em boas condições.

Recentemente, um grande amigo adquiriu um 350Z 2006 e tive a chance de experimentá-lo de verdade.

Nissan 350 Z Korncars IV

O 350Z

A Nissan lançou o modelo em 2002 e o carro foi fabricado até 2009. A motorização é um V6 3.5 aspirado que sofreu algumas variações durante o ciclo de vida. Aqui no Brasil, vimos o carro importado oficialmente somente na versão coupé e com a possibilidade opcionais NISMO (divisão de performance da marca), apesar de no exterior termos visto uma série de versões diferentes do carro.

As opções de câmbio para o Z foram: automático de 5 marchas ou manual de 6.

A tração é traseira.

O motor do Z originalmente produzia 287 Hp a 6200 rpms e 371 Nm a 4800 rpms. A partir de 2006, esse propulsor abriu mão de um pouco de torque em favor de mais potência, sendo o resultado: 300 Hp a 6400 rpms e 353 Nm a 4800 rpms. Em 2007, uma nova evolução e o conjunto passou a render 306 Hp a 6800 rpms e 363 Nm a 4800 rpms.

Nissan 350 Z Korncars Motor

O peso com fluídos do 350Z coupé com câmbio manual variou entre 1450 e 1515 Kgs durante a vida do carro, conforme opcionais e mercados em que ele foi oferecido.

O modelo que tive a oportunidade de dirigir é equipado com a primeira versão de motorização do Z, segundo o proprietário. O 0 a 100 km/h do carro na versão testada é de 6,0 segundos (declarados) e a velocidade máxima é de 250 km/h (limitada eletronicamente).

O 350Z capturou o imaginário de muitos entusiastas que curtem carros nipônicos e virou uma febre no universo drift, em especial após o Velozes e Furiosos: Desafio em Tóquio (Tokyo Drift), onde um 350Z com kit VeilSide era pilotado pelo vilão. Apesar da fantasia por trás do filme, diversas personalidades do mundo drift verdadeiro de fato recorreram aos serviços do Nissan em competições e a plataforma se saiu muito bem.

Nissan 350 Z Korncars Tokyo Drift

A combinação de tração traseira, motor dianteiro e câmbio manual caem como uma luva na proposta. Porém, na minha opinião, elogiar o 350Z com base apenas nos méritos alcançados no universo do drift é negligenciar tudo o que o carro é capaz de oferecer. Acreditem em mim, o 350Z é muito mais do que um instrumento de traseiradas.

POR DENTRO DO 350Z

Para todos aqueles acostumados com aquela proposta mais rudimentar de carros esportivos japoneses, até que o Z se sai muito bem. A cabine é moderna para época em design. Há plásticos em demasia, mas nada parece ser barato. O sistema de som é da marca BOSE e dá conta do recado. Os bancos tem ajustes elétricos e a direção tem ajuste de altura (mas não de profundidade).

Nissan 350 Z Korncars Interior

Em termos ergonômicos, todos os comandos são simples e ao alcance das mãos, sem que o motorista tenha que desviar o foco do que acontece.

Em tempos onde os Lancers Evolutions e Subarus WRXs deixavam muito a desejar em todos os aspectos mencionados até aqui, o 350Z fazia um trabalho melhor em fazer o dono se sentir um camarada mais especial. Se não bastasse o aspecto interno, desnecessário frisar que o 350Z tinha o visual de um carro esportivo mesmo, e não o de uma adaptação de um modelo mais ordinário da Nissan.

Você se senta bem baixo, deixando claro a proposta esportiva do modelo.

TOCANDO O 350Z

Logo de cara, ao dar a ignição, o dono do carro me pede para desligar o controle de tração e estabilidade, coisa que reluto em fazer até que tenha conhecido melhor o modelo. Meu amigo me garante que o carro é extremamente dócil e que praticamente seria desnecessário ter tais controles acionados. Resolvo seguir o conselho.

Manobrando, sinto uma embreagem fora do comum de pesada e indago se aquilo é normal. A resposta é que o conjunto foi substituído por outro after market, capaz de tolerar um pouco mais a brincadeira. O bom é que apesar da “carga”, a embreagem é fácil de usar. Difilcimente você deixará o carro morrer tendo um pouco mais de intimidade com o pedal da extrema esquerda.

Nissan 350 Z Korncars III

Começamos a trafegar com um pouco mais de emoção e foi nessa hora que comecei a perceber quão bom o 350Z é dinamicamente.

A começar pela direção: conjunto hidráulico. Peso na calibragem ideal para a força e dimensão do carro. Resposta muito boa e bem direta. É engraçado quando você bota em perspectiva a tecnologia que é embarcada nos modelos mais novos e como a simplicidade de um conjunto mais antigo bem acertado dá uma aula em termos de experiência a qualquer coisa moderna que surgiu na categoria do Z. Você sente muito bem o que está acontecendo com o eixo traseiro e dianteiro do Z. Talvez seja por isso que todos os fãs de drift gostem tanto do modelo.

Assim que começamos a atacar mais algumas curvas, o 350Z continua a me impressionar positivamente. O chassi é tão neutro e equilibrado. Arrisco dizer que a última vez que senti algo muito parecido com isso, foi a bordo de Porsches Cayman. É um senso de poder abusar e cutucar os limites com uma certa insolência que outros carros mais ariscos lhe machucariam com uma facilidade incrível. O 350Z é realmente um carro dócil. Absurdamente dócil.

A suspensão é também perfeita para o conjunto do carro. Em tempos de milhares de ajustes configuráveis por meio de uma central no painel, o Z não lhe dá nenhuma dessas coisas. O ajuste é único e cumpre a missão de forma exemplar. Realmente, você se pergunta o que aconteceu com os engenheiros automotivos. Antigamente, eles eram capazes de oferecer um único conjunto e acerto que serviam para todas as ocasiões. Hoje em dia, ao invés de tomar uma decisão e errar, eles colocam no colo do consumidor a decisão.

O 350Z é um pouco mais para o lado rígido do que pelo conforto. O carro é realmente pensado pelo aspecto da esportividade, mas, do pouco que pude absorver da experiência, o Z não chega a entregar calafrios cada vez que você trafegar por um asfalto um pouco mais irregular.

Os freios, novamente, outro aspecto muito agradável e completamente compatíveis com o desempenho e peso do carro.

Depois de provocar o 350Z por algum tempo, eu viro para o meu amigo e dono afirmando que ele deveria ir andar em um track day com o carro e não apenas brincar de #jogardelado! É um carro que é um prato cheio para quem quiser tocar mais focado. É excepcionalmente bom.

Quer dizer então que o 350Z é praticamente perfeito?! Não exatamente.

Se você leu até aqui, você provavelmente deve ter notado que ainda não falei do motor do carro. Trata-se de um propulsor extremamente confiável e robusto, que entrega um número confortável de potência e torque. O ronco do conjunto sem os abafadores finais (como o carro que testei) é muito gostoso, mas não há como negar que “falta” alguma coisa.

Primeiro, o conjunto do 350Z é tão bom que você não consegue parar de pensar o que seria desse carro com 100 cvs a mais. Para ser sincero, algo na casa dos 340 e 350 cvs com o mesmo conjuntinho aspirado original seria mágico!

Segundo – e isso me lembra a primeira vez que andei no 350Z há muitos anos – se não fosse pelo ronco, você juraria que o 3.5 V6 é um motor que poderia equipar o mais comportado dos sedãs familiares. Falta aquela subida de giros mais explosiva.

Durante a banda de RPMS não há aquele momento em que você sente o “sweet spot“. Por exemplo, em um Civic SI é a hora que o I-Vtec entra ou em uma BMW M3 E92 quando ela passa dos 4000 rpms.

O motor do 350Z parece ter uma curva extremamente linear de entrega de potência e torque. Pouco acima dos 3000 rpms, o V6 acorda e se mantém do mesmo jeito até por volta dos 7000 rpms. Não me entendam errado e nem sei se isso é exatamente uma crítica, pois trata-se de um aspecto extremamente subjetivo, mas não fosse pelo ronco, eu diria que falta um motor que esteja na mesma sintonia do resto do carro. 

CONCLUSÃO

Tenho um amigo que teve um 370Z (sucessor do 350Z) e disse, em tom de brincadeira, o carro era basicamente a Cayman GT4 japonesa. Ressalvadas as devidas proporções e sem levar em conta se ele sabia realmente o que estava falando, eu diria que, pelo menos com as Caymans mais normais da época (987.1), o 350Z tem uma personalidade muito parecida.

Trata-se de um carro confiável e robusto, com um conjunto de chassi, suspensão e direção extremamente equilibrado e capaz, mas que, assim como os primeiros Porsches Caymans, merecia um motor mais especial. Isso quer dizer que o 350Z é ruim!? Muito pelo contrário. É um carro excepcionalmente bom e um pacote absurdo de engenharia automotiva pelo quanto custa hoje em dia.

O teste realizado foi ótimo para apagar toda a memória negativa que tinha de muitos anos atrás do modelo. É um carro extremamente capaz de entreter no mais puro entusiasmo automotivo, seja fazendo uma tocada precisa ou botando aquela traseira para passear.

Eu sempre coloquei o 350Z em perspectiva contra o BMW 130i. Apesar de complemente diferentes em proposta, eram carros muito próximos em desempenho e preço quando 0km. Por melhor que a BMW fosse, hoje eu entendo que o 350Z é um legítimo carro esportivo em todas as acepções do termo, enquanto que a 130i era um carro com apenas pretensões esportivas.

Nissan 350 Z Korncars V

Anúncios

5 comentários sobre “NISSAN 350Z – MUITO MAIS QUE UM CARRO PARA DRIFT

      1. Rapaz, eu acho o 350z um dos mais bonitos coupes já produzidos. Muito mais bonito do que o 370z. O perfil dele beira à perfeição. Estou pensado seriamente em comprar um, pelos preços que estão sendo anunciados, para ficar comigo por muito tempo e como um segundo carro para diversão. Viajo muito sozinho e acho desnecessário o banco traseiro nestas viagens. Acontece que as opções com 2 lugares que acho interessante ou são muito caras para mim ou chamam muito a atenção da mulherada, situação em que a minha esposa ficaria desconfortável. Acontece que fico com um medo danado de adulteração de km e de carro muito mexido. Como encontrar um bom exemplar do 350z?

  1. Bela matéria e retrata tudo que é o 350z exatamente! O “conjunto” é expepcional, um carro que eu tento procurar o que fazer para melhorar mas não acho nada, não tem o que fazer… a Nissan o entregou e disse: “vai ser feliz”… como você falou, talvez o motor poderia ser um pouco mais forte, mas nem todos os entusiastas são tão acostumados c motores muito mais fortes e para uma boa parte do público já satisfaz muito! Gostaria que um dia você tocasse o meu pois acredito ser um dos poucos que ainda está bem próximo do que ele é de fábrica, visto que a maioria é “mexido” demais ou “cansados”, além de ser um 2008 (já c duas tbi’s) e 312cv, manual, sinto que ele responde em alta melhor que o modelo anterior. Meu carro é 100℅ original, não possui nem escape nem filtros e tem apenas 8.500 km rodados! Abraço!

Leave a Reply / Deixe Seu Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s