PORSCHE 918 SPYDER – SUBESTIMADO NO PAPEL, DEMOLINDO NA REALIDADE?

Depois do lançamento dos míticos Mclaren P1 e LaFerrari, a Porsche não poderia ficar para trás com o seu novo supercarro, o 918 Spyder. Já falei para sobre ele algumas vezes tanto aqui no korncars.com, como na página do Facebook.

As coisas estão ficando quentes, especialmente porque o 918 Spyder tinha tudo para ser o supercarro a ser subestimado comparativamente aos concorrentes italiano e britânico no papel, mas, no mundo real, está se provando, até o momento, como a máquina mais incrível. O Porsche pesa 1684 Kgs e tem singelos 887 Hp –  cerca de 350 Kgs mais pesado que P1 e LaFerrari.

Eu mesmo estava muito cético quanto ao sucesso do 918 Spyder perante LaFerrari e McLaren P1. Porém, o primeiro choque veio com o tempo de volta do Porsche no mítico circuito de Nurburgring Nordschleife – Marc Lieb, piloto de testes da marca crava a impressionante marca de 6’57”. O teste foi feito próximo do Salão de Frankfurt de 2013 e deixou muitos curiosos a respeito dos tempos de volta dos concorrentes, afinal, se o “gordinho alemão” fez isso tudo, o que fariam os demais, mais leves e mais potentes.

Para a frustração geral da nação automobilística, não se tem a menor ideia do tempo de volta da LaFerrari e, pelo pouco que se sabe, ninguém na McLaren conseguiu fazer a P1 baixar o tempo de volta da marca de 7’06”. Se já não bastasse a estupidez do atual tempo do 918 Spyder no circuito, essa semana, o piloto responsável pelo recorde, andou dizendo publicamente que talvez não tenhamos visto o potencial completo do carro.

De acordo com Lieb, o carro, tal como testado no dia da volta, foi mais aprimorado desde então. Além disso, ele também confessou que não guiou o 918 Spyder “no limite”, mas sim com relativa margem de segurança, haja vista que um acidente poderia “azedar” o desenvolvimento do carro e os engenheiros da Porsche haviam dado ordens expressas para que segurassem o pé em algumas partes da pista.

Agora, a notícia recém saída do forno é que a Porsche acabou de finalizar os ajustes do 918 Spyder, ou seja, formato final de produção. A marca diz ter ficado surpresa com os números de performance do carro, que superaram as expectativas iniciais previstas.

Com o pacote Weissach (cerca de 40 Kgs mais leve), o 918 Spyder foi capaz de ir de 0 a 100 Km/h em 2,6 segundos (0,2 segundos mais rápido que o esperado). Apoiado apenas no conjunto elétrico, o carro é capaz de fazer essa mesma marca em 6,2 segundos (0,7 segundos mais rápido que o planejado). A marca do 0 a 200 Km/h é feita em 7,2 segundos e o 0 a 300 Km/h acontece em 19,9 segundos (0,5 segundos e 2,1 segundos, respectivamente, mais rápido que o anunciado originalmente).

São excelentes números de performance, mas estão abaixo do que a P1 e LaFerrari são capazes, pelo menos, no papel. A Mclaren diz que a P1 faz de 0 a 100 Km/h também abaixo dos 3 segundos, mas o 0 a 200 Km/h é abaixo dos 7 segundos e o 0 a 300 Km/h em 17 segundos. A marca do 0 a 100 Km/h  também é atingida em menos de 3 segundos pela Ferrari, mas ela é ainda mais rápida no 0 a 200 Km/h e 0 a 300 Km/h, com as marcas de, respectivamente, 6,5 segundos e 15,5 segundos).

O problema é que muito pouco se viu na realidade a respeito do que a LaFerrari e a P1 são capazes, enquanto que o alemão deu a cara para bater. Honestamente, ainda acho que os concorrentes têm mais potencial em termos de performance, mas, por alguma razão inexplicável, estão tendo muitas dificuldades de botar isso à prova, haja vista a ausência de dados concretos e comprovados.

O 918 Spyder está na onda dos supercarros híbridos, ou seja, que têm motores a combustão e ajuda elétrica. No caso do Porsche, o motor a combustão é um 4.6 V8, que produz 608 Hp e gira 9150 rpms. O conjunto elétrico adiciona cerca de 280 Hp (127 Hp de um motor elétrico dianteiro e 153 Hp de outro motor elétrico atrás do piloto). A resultado final é: 888 Hp e cerca de 127 Kgfm de torque.



Diferentemente da P1 e LaFerrari, que usam o KERS, a Porsche optou por adotar um sistema de baterias mais convencional para o conjunto elétrico e, na minha opinião, é aí que está o grande pecado do carro. Apesar de ser um supercarro, o 918 Spyder pesa cerca de 1700 Kgs, ou seja, cerca de 400 a 500 Kgs mais pesado que os seus concorrentes diretos.

Note-se, no entanto, que a Porsche oferece o Pacote Weissach para o 918 Spyder, responsável por cortar “incríveis” 40 Kgs do peso total do carro (acho que deveriam cortar esse peso desde já e não cobrar 84 mil dólares a mais por isso).

Dinamicamente falando, o chassi tem sido altamente elogiado pela sua rigidez e comunicabilidade com as respostas ao volante. Há aerofólios espalhados pelo carro que aumentam ou diminuem o downforce  conforme necessário. No quesito aderência, o 918 Spyder usa pneus especialmente fabricados para o modelo, que, segundo relatos, são simplesmente sublimes em termos de grip e sensibilidade.


Pelo que vi até o momento, o carro terá os tradicionais modos de pilotagem da Porsche – normal, esporte e race (ao invés do tradicional, sport plus). Andando no modo normal, o motorista seleciona entre dirigir utilizando apenas o conjunto elétrico ou o motor a combustão por meio de um interruptor na direção. Curiosamente, se o motorista afunda muito forte o pedal do acelerador andando no modo elétrico, o carro imediatamente aciona o motor a combustão.

Já no modo esporte, tudo indica que o carro utiliza apenas o bom e velho 4.6 V8, mas o motorista pode acionar as baterias elétricas para que ambos trabalhem em conjunto. Obviamente, no modo esporte, as respostas de acelerador, chassi, direção e câmbio também ficam mais afiadas.

No modo race, o 918 Spyder mostra em sua plenitude suas capacidades de supercarro. O 4.6 V8 age juntamente com o conjunto elétrico. Respostas de acelerador, chassi, direção e câmbio estão todas voltadas para máxima performance (aliás, a precisão da direção foi altamente elogiada). 



A caixa de câmbio do 918 Spyder também é de dupla embreagem semi-automatizada, o famoso PDK. Porém, customizado especificamente para o carro, da mesma forma que a Porsche fez com o recém lançado Gt3 991, que também empresta para o supercarro da marca o sistema de rodas traseiras esterçantes. Ou seja, o 918 Spyder, além de tração integral, tem também rodas traseiras que giram conforme a curva e velocidade. Talvez seja essa a aposta da Porsche para garantir que o carro será o mais rápido da categoria em autódromos.

A principal crítica relativa ao carro propriamente (e não comparativa aos concorrentes) foi aos freios. Acontece que o 918 Spyder utiliza um sistema elétrico para frenagens que gerem até 0,5 de força g justamente para carregar as baterias. Qualquer coisa acima desse número faz com que entre em ação o sistema tradicional de frenagem. Na prática, quem testou o carro disse que é uma sensação esquisita, afinal, você sobe no pedal, tem uma sensação de pouco freio e, de repente, os discos e pastilhas atuam.

O carro está precificado atualmente em USD 850.000,00, ou seja, um pouco mais barato que P1 e LaFerrari. Apenas 918 carros serão produzidos, (em clara alusão ao nome do modelo), o que corresponde a 30% a menos comparativamente ao antigo supercarro da marca, o Carrera GT.

 

 

 
Anúncios

7 comentários sobre “PORSCHE 918 SPYDER – SUBESTIMADO NO PAPEL, DEMOLINDO NA REALIDADE?

  1. Korn gostaria da sua opiniao referente a porsche carrera 4s ano 2007, cambio manual e se ha muita diferença na tocada para o modelo s !! Abs

    1. É um belíssimo carro. Falta muito pouco para geração 997 se tornar um clássico moderno. Eu, particularmente, adoro a tocada de um bom câmbio manual, especialmente em um Porsche. Apesar de adorar a eficiência do PDK, presente na 997 Mk II, acho que a experiência de cambiar é fenomenal. Porsche e câmbio manual são bons sinais do que há de mais puro em pilotar em tempos modernos. Quanto à diferença entre S e 4S, bem, de maneira geral, dinamicamente falando, o 4S é um carro com a frente um pouquinho mais plantada que o S. A sensação de frente level é menor no 4S do que no S. De maneira geral, o 4S é um carro menos desafiador que o S, que traz a tona tudo o que o 911 sempre foi. Se o 4S, por um lado, é mais seguro, por outro, em linha reta, é um pouco mais lerdo que o S.

  2. Korn um carrera 4 s ano 2008 em bom estado é fácil de se encontrar e por acaso sabe de algum a venda ?? Qual seria o valor ideal para pagar ??

    1. Sim! São carros que as km mais baixas para esse ano estão ficando mais raras, mas não deve ser complicado achar uma com seus 15 a 20 mil km.
      Algo na faixa de 270 a 290 mil sendo muito bem pagos. Se não me engano, há uma anunciada, só que S, com nem 5 mil km, 2008. Porsches são fáceis de manter. Se souber os locais certos, não fica caro cuidar do Porsche e, além disso, são carros feitos para durar. Nenhum outro esportivo aguenta o tranco que um Porsche aguenta.

Leave a Reply / Deixe Seu Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s